segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dilma lança metas sociais e alerta para o perigo do salto alto

A candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff, pediu aos militantes mais cautela e que evite nesta reta final do segundo turno o clima de já ganhou. Ela fez um alerta para o perigo do “salto alto”. “Isso não dá certo, a gente fica confortável demais, orgulhoso demais e sobe demais no salto alto. Então, vamos colocar um salto bem baixinho e disputar até dia 31 voto por voto”, disse a presidenciável nesta quarta (27), em Brasília, durante o lançamento das 13 metas para a área social.
Para ela, é preciso realizar intensa mobilização até o dia da eleição e garantir a vitória no segundo turno. Pesquisa divulgada nesta quarta (27) pela CNT/Sensus dá uma vantagem de 17% favorável a ex-ministra contra o tucano José Serra.
Durante o lançamento das metas sociais, no Teatro dos Bancários, Dilma disse que o principal compromisso é a erradicação da miséria no país. Segundo ela, essa será a principal meta da sua gestão, porque um país só pode comemorar crescimento econômico quando muda para melhor a vida das pessoas.

"Para nós a questão social não é adereço de mão nem um anexo do programa de governo. Essa é a nossa diferença histórica", afirmou a candidata ao se comprometer a tirar 21,5 milhões da pobreza. Na proposta para desenvolvimento social de Dilma promete, entre outras coisas, estender o Bolsa Família mesmo para as pessoas que não têm filhos.
Programa do adversário

A presidenciável também criticou o programa de seu adversário que, segundo ela, não dá prioridade à questão do desenvolvimento social. "No programa do adversário essa questão está no anexo", disse.
Dilma salientou que a diferença entre o projeto do governo Lula, que ela dará continuidade, e dos tucanos de José Serra é que a questão social define as prioridades da gestão e não apenas a economia é o carro chefe.
Por isso, segundo ela, programas como o Minha Casa, Minha Vida foram lançados porque o governo tem olhar social.
“Investimos em mais moradias e lares para população e isso gera empregos para população. Ou seja, é um programa social com conseqüências econômicas. É dessa forma que vemos o país. Temos que voltar a ter valores, ao invés de dar importância às questões mercantis, dar importância só aos números, temos que focar nas pessoas. Eu vou continuar fazendo isso”, discursou.



De Brasília com informações do site de campanha da Dilma

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog