sábado, 22 de agosto de 2009

12º Congresso: Trabalhadores da Saúde discutem Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento


Com as presenças do vereador Jamil Murad e Sara Munhoz, presidente da Associação Brasileira de Enfermagem de São Paulo (ABEN-SP), o PCdoB realiza neste sábado, dia 22 de agosto, no auditório Prestes Maia, na Câmara Municipal, encontro com trabalhadores da Saúde para continuar as discussões sobre o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento.No dia 12 de agosto, os vereadores Jamil Murad e Netinho de Paula estiveram na sede da Associação dos Servidores do Hospital das Clínicas (ASHC) apresentando as propostas para os trabalhadores do quarteirão da saúde. “Foi um encontro muito positivo em que se demonstrou disposição para envolvermos um grande número de pessoas no fortalecimento do PCdoB. Este novo encontro vem somar novas opiniões e aprimorar a discussão”, afirmou Jamil.Denis Veiga, que é conselheiro municipal de saúde e advogado e assessor da Associação dos Servidores do Hospital das Clínicas (ASHC) aguarda para este fim de semana um encontro com um número maior de participantes e ampla representatividade dos trabalhadores da saúde. “É essencial a presença do trabalhador, assim como do conselheiro municipal e do conselheiro gestor, para que a nossa participação no encontro seja ativa como aconteceu no primeiro evento com servidores do HC”, lembrou Denis.
fonte: site Jamil Murad

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

MAIS UMA DO SR. KASSAB E A ADMINISTRAÇÃO DO DEM


Kassab reduz serviços de limpeza de rua de São Paulo
fonte: FOLHA DE SÃO PAULO -
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u609038.shtml

Em tempos de lei antifumo, que encheu calçadas de bitucas de cigarro, e às vésperas da temporada de chuvas, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), determinou um corte de 20% nas verbas para a retirada de entulho e a varrição das ruas da cidade, informam os jornalistas Catia Seabra e José Ernesto Credencio, em reportagem publicada na edição desta quinta-feira da Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).
De acordo com os jornalistas, a medida representa redução de R$ 58,4 milhões na previsão de gastos com coleta de resíduos (R$ 31,56 milhões) e varrição (R$ 260,3 milhões). A matéria também aponta uma redução de 70% do orçamento para obras viárias e de canalização.
Kassab optou por reduzir a despesa com a varrição para manter promessas de campanha eleitoral, como o congelamento da tarifa de ônibus, o que está exigindo gastos cada vez maiores com os subsídios às empresas. Ele afirmou à reportagem que foi necessário um aporte de R$ 600 milhões em subsídios.
Segundo a reportagem, a prefeitura vem sofrendo com a crise porque, apesar dos indícios da retomada da economia, a queda da arrecadação ainda não se reverteu, o que deve ocorrer nos próximos meses. Como o volume de recursos caiu de R$ 300 milhões para R$ 100 milhões, obras com início previsto para este ano ficam para 2010.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

UMA PROPOSTA DE REFORMA POLÍTICA

Desde abril de 1.977 que o Brasil não tem uma reforma política digna do nome, a última foi a dos generais que impôs o senador biônico; a eleição indireta dos governos estaduais; o cálculo das cadeiras da Câmara dos Deputados pela população do Estado e não pelo número de eleitores; o voto vinculado e a obrigatoriedade de escrever o nome do candidato sufragado, sob pena de nulidade do voto.

Acabou a ditadura militar mas a tentação casuística das classes dominantes persiste, basta ver que parcela expressiva do PSDB patrocina o voto distrital como eixo central desta tão defendida reforma que nunca sai, ora, o voto distrital ele pereniza o que talvez seja o que há de pior na política brasileira, qual seja o personalismo e o messianismo em grande medida responsáveis pelo baixa grau de politização da população brasileira, vez que os eleitores votarão em pessoas como se votam em síndicos de prédio ou miss caipirinha nas festas juninas, sem noção dos compromissos do candidato com projetos de nação ou com ideologias. Aplicado na eleição da Câmara dos Deputados, por exemplo, não teríamos deputados, mas, vereadores federais preocupados única e exclusivamente com seus redutos eleitorais, sem nenhum compromisso com as grandes questões nacionais, mas apenas com as suas paróquias.

Além destes efeitos perversos teríamos também a concentração do poder econômico no distrito o que favoreceria candidaturas dos grandes grupos econômicos o que explica o empenho de parte da mídia e do PSDB na aprovação desta excrescência antidemocrática chamado voto distrital, o que admitira apenas na sua forma mista e circunscrito ao legislativo municipal, onde a proximidade com o eleitor justifica este tipo de voto que por outro lado, conviviria com o voto proporcional, capaz de dar assento na Câmara Municipal a todas as forças políticas da cidade.

O voto facultativo é outra manobra que as elites tentam introduzir na reforma política, com o nítido intuito de alijar das eleições a participação das massas populares, este instrumento com a persistente desconstrução da política teria como efeito, a perenidade de grupos conservadores encastelados na direção do Estado e o conseqüente refluxo no atendimento das demandas populares e o retrocesso da democracia.

A reforma que proponho, confesso que a meu juízo seria a ideal e não a possível, no atual quadro de correlação de forças, francamente desfavorável ao aprofundamento da democracia no Brasil, topicamente seriam estas as propostas :

1) Sistema Parlamentarista de governo;
2) introdução do unicameralismo e conseqüente extinção do Senado;
3) voto em lista partidária;
4) manutenção do voto proporcional na eleição de deputados estaduais e federais;
5) voto distrital misto nas eleições do legislativo municipal;
6) Financiamento público de campanha;
7) Tempo igual para todos os partidos no rádio e na televisão;
8) Descoincidência das eleições estaduais e federais;
9) Ampla liberdade de organização partidária.

Cada uma destas nove propostas merecem ser detalhadas e justificadas, o que farei mais adiante dada a exigüidade do espaço.

Denis Veiga Junior

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Plano Diretor Estratégico da Cidade de São Paulo região Oeste

Presença na Audiência pública do plano diretor solicitação de HOSPITAL GERAL PARA O BUTANTÃ - SESC PINHEIROS
Na qualidade de conselheiro municipal de Saúde trago a reivindicação da construção de um Hospital Geral no Butantã;
a) Assinalando que o CMS sofre ameaça de dissolução por parte da SMS, por conta de uma ação na justiça,
b) Nesta cidade o SUS é demolido todos os dias, o controle social é desrespeitado e a escalada autoritária faz lembrar os tristes tempos de Paulo Maluf, já que a administração não dialoga com a população
c) Criminalizar os movimentos sociais, basta lembrar que a 1ª. Atitude do Prefeito Serra foi o de acabar com o conselho de representantes e ingressar com ADIN (Ação direta de inconstitucionalidade) no STF visando por fim aos conselhos gestores na cidade de São Paulo.
Por último convidei a todos para o seminário “transporte público”e a mobilidade urbana em São Paulo, dia 17 de Agosto às 14 hs na Câmara Municipal
inscrição no site www.jamilmurad.com.br
Denis Veiga Junior

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Gestão demo-tucana vai destruir mais árvores



O bairro do Butantã, na Zona Oeste, será a próxima vítima da administração demo-tucana de São Paulo. A prefeitura se prepara para implementar um projeto que vai destruir a Praça Elis Regina e que colocará em risco o Parque da Previdência, uma das poucas áreas verdes da região.
O projeto prevê a construção de uma via expressa e um túnel que ligará as avenidas Corifeu de Azevedo Marques e Eliseu de Almeida. Essa intervenção se dá por meio da Operação Urbana Consorciada Vila Sônia, um instrumento de parceria público-privada que prevê especulação financeira sobre o solo urbano criado. Os metros quadrados a mais que serão gerados na região serão negociados na Bolsa.
A operação significa destruição da praça, comprometimento do parque, adensamento, com a verticalização da região por meio da construção de mais prédios. O Butantã sofrerá os mesmos erros históricos que já foram cometidos em outros bairros da cidade, nos quais se privilegiou a impermeabilização do solo e o transporte por automóvel. Sofremos hoje as conseqüências disso com o aumento da poluição do ar e o flagelo das enchentes.
Saiba mais sobre o projeto no site www.butanta.com.br

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Cebrapaz repudia instalação de bases dos EUA na Colômbia.

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) divulgou, nesta terça-feira (04), seu repúdio à escalada militar dos Estados Unidos na Colômbia. Em nota assinada pela sua presidente, Socorro Gomes, a entidade pronunciou-se de maneira contuindente contra a instalação de bases militares norte-americanas no país latino.
O Cebrapaz realizou, no mês passado, a sua Assembleia Nacional, na qual os temas da militarização e das bases estrangeiras no continente foram amplamente debatidos. Na ocasião, diversos participantes, inclusive de delegações estrangeiras, chamaram a atenção para o fato e os Estados Unidos estarem dispostos a tranformarem a Colômbia em uma "Israel da América Latina". O objetivo seria cercear as mudanças promovidas por governos populares na região. Leia abaixo a íntegra da nota:
Cebrapaz repudia presença militar dos EUA na América LatinaO Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), movimento social brasileiro exercendo a presidência do Conselho Mundial da Paz, vem a público repudiar a mais nova onda de militarização na América do Sul, feita através do acordo militar entre os Estados Unidos e a Colômbia.A utilização por parte dos EUA das bases de Palanquero, Apiay, Malambo, Cartagena e Málaga, localizadas em território colombiano, constitui grave ameaça à segurança e à paz em nossa região. Estas novas bases visam a transformar a Colômbia em um centro de operações táticas dos EUA na América Latina.O acordo, que terá duração de 10 anos, permitirá aos norte-americanos ter 1.400 homens, entre civis e militares na Colômbia e contará com investimentos na casa dos 5 bilhões de dólares. A Colômbia é hoje o quinto país em ordem de grandeza com o qual os EUA têm cooperação militar, ficando atrás somente de Israel, Iraque, Egito e Afeganistão.Destacamos que à medida que a influência política dos EUA diminui na região, o Comando Sul (Southcom) desse país, voltado para a América Latina e o Caribe, amplia de forma vertiginosa sua presença no continente, seja através da instalação de bases militares e radares ou de iniciativas de envergadura ainda maior, como a recente reativação da Quarta Frota da marinha de guerra dos EUA.Estas novas bases completam a formação de um verdadeiro cinturão militar no entorno da fronteira com o Brasil. Entre seus reais objetivos estão os de intimidar os processos políticos de transformação que estão em curso, e ainda ganhar posição numa região estratégica e com vastas riquezas naturais. O Cebrapaz considera positiva a iniciativa dos presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Michelle Bachellet de convocar para o próximo dia 10 de agosto o Conselho de Defesa Sul-americano para tratar do tema.Conclamamos a todas as forças progressistas nacionais e os movimentos sociais para estarem atentos a esta nova escalada militar do imperialismo estadunidense em nossa região. Conforme deliberação da 2ª Assembléia Nacional do Cebrapaz, realizada no último mês de julho, reafirmamos nossa luta pelo desmantelamento de todas as bases militares estrangeiras no mundo, em especial as que estão situadas em nosso continente.Repudiamos os intentos de fazer da Colômbia um centro de operações táticas contra os povos e países da região e governos democráticos e antiimperialistas.Repudiar a escalada militar estadunidense na Colômbia significa defender a América latina como uma região de paz.
São Paulo, 03 de agosto de 2009
Socorro Gomes, presidente do Cebrapaz
fonte VERMELHO http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=60806

Pesquisar este blog