terça-feira, 26 de setembro de 2006

COMEÇO DA HISTÓRIA DA UBS REAL PARQUE 26/09/2006

SPTV Comunidade - 26.09.2006
Real Parque quer UBS
Reportagem de Márcio Canuto




Moradores do Real Parque ganharam um posto de saúde, só que ele não funciona. A obra foi feita errada e há dois anos a população espera pelos médicos.
O fiscal do povo, Márcio Canuto, foi até lá para saber se este problema tem solução.
No Real Parque, por ser um bairro de classe média alta, o problema principal é a falta de preocupação das autoridades com a vizinhança, de classes mais baixas.
“Nós temos aqui apenas um posto, que funciona com muitos problemas, com muitas dificuldades. As vezes falta médico, outras vezes falta remédio. E temos este outro posto novo, que está aqui e de tão novo já está velho, porque foi inaugurado e ainda não foi entregue à população”, afirma Dênis Veiga Júnior, advogado.
“A comunidade conseguiu uma parceria com uma ONG que entrou com a verba para ajudar a construir este posto. Este posto foi inaugurado em maio de 2004. Em junho de 2004, apareceram com 19 irregularidades e até hoje não permitiram abrir este posto”, conta Paulo Adan Jorge, engenheiro.
“Contando as duas favelas, são 1800 famílias em uma e 1500 em outra”, diz Marcos César da Silva, porteiro.
“O pessoal que mora nos prédios, também, que pagam convênio, eles tomam vacina no posto de saúde, toda a comunidade usa o posto de saúde, são, se for contar, mais de 12 mil pessoas que usam o posto de saúde. O posto lá de cima é pequeno, construiu este aqui às pressas pra poder entregar em final de mandato”, diz Maria de Souza, comerciante.
Os moradores do prédio dizem que as salas são tão pequenas que, se o paciente entrar, o médico tem que sair, de tão pequenas que são as salas.
“O funcionário tem que ficar sentado com o paciente pra poder ser atendido”, conta Petrúcio dos Santos, auxiliar de serviços gerais.
O SPTV Comunidade conversou com a coordenadora da secretaria municipal de saúde, Lílian helena Falcão.
“Esse posto deve funcionar até o primeiro semestre do ano que vem. A licitação deve estar publicada até dezembro, estamos acabando o projeto arquitetônico. É uma obra muito grande e que vai contemplar, isso é, vocês vão ter um posto modelo, porque nós vamos colocar elevador, precisamos fazer a contenção que precisa aqui e além disso, nós precisamos redimensionar, deste prédio que vocês estão vendo, 31% só será aproveitado, o resto será refeito”, garante Lílian Helena Falcão, coordenadora da secretaria municipal de saúde.

Volte para a página da edição de 26.09.2006

Pesquisar este blog